AVC – Acidente Vascular Cerebral ou Derrame: O Que Você Deve Saber

O acidente vascular cerebral - AVC, popularmente mais conhecido como derrame cerebral, é uma emergência médica e uma das principais causas de morte.

O que é um acidente vascular cerebral ou derrame?

Outro termo também utilizado é acidente vascular encefálico – AVE. AVE é uma forma mais correta, posto que outra região dentro da cabeça, além do cérebro, pode ser afetada. Mas aqui vamos usar o termo AVC.

O AVC ocorre quando um vaso sanguíneo deixa de levar sangue e, portanto, oxigênio, a áreas do cérebro, com consequente dano às estruturas que deixam de receber oxigênio.

Esta interrupção de fluxo sanguíneo pode ser por rompimento do vaso e consequente sangramento ou, mais comumente, quando um bloqueio se desenvolve dentro do vaso, um trombo (coágulo) com consequente isquemia (ausência de fluxo sanguíneo sem sangramento).

Sem tratamento, as células no cérebro rapidamente começam a morrer. O resultado pode ser grave incapacidade ou morte.

Sinais e sintomas do acidente vascular cerebral

Os sinais e sintomas de um AVC podem incluir:

  • Adormecimento, formigamento ou fraqueza repentina do braço ou da perna (ou ambos), especialmente em um lado;
  • Mudanças repentinas de visão em um ou em ambos os olhos, como visão turva ou diplopia (quando a pessoa enxerga dobrado), ou dificuldade em engolir;
  • Dor de cabeça súbita e severa com causa desconhecida;
  • Problemas repentinos com tonturas, dificuldade para andar ou perda do equilíbrio;
  • Confusão repentina, dificuldade em falar ou compreender os outros.

Teste para AVC: sorria, mexa os braços e fale

Em inglês, este teste é conhecido como FAST (Face=rosto; Arms=braços; Speech=fala; Time=tempo)

O teste FAST ajuda a detectar sinais e sintomas de acidente vascular cerebral:

  • Face=rosto: Peça um sorriso. Será que um lado está diferente do outro?
  • Arms=braços: Peça para a pessoa levantar ambos os braços. Será que um lado desce para baixo antes do outro?
  • Speech=fala: A pessoa pode repetir uma frase simples? Será que a fala parece estranha?
  • Time=tempo: O tempo é fundamental. Se este teste mostrar a possibilidade de a pessoa estar tendo um derrame, leve-a urgentemente ao hospital ou posto de saúde.

A importância do TEMPO no AVC

Cada segundo conta quando a pessoa está sofrendo um acidente vascular cerebral.

Quando privado de oxigênio, as células cerebrais começam a morrer em poucos minutos.

Quando o AVC é isquêmico (por bloqueio no vaso), existem medicamentos que podem dissolver o coágulo e reduzir os danos cerebrais, mas eles precisam ser usados ​​dentro de três horas – até 4,5 horas em algumas pessoas – dos sintomas iniciais de acidente vascular cerebral.

Uma vez que o tecido cerebral tenha morrido, as partes do corpo controladas por essa área não vão funcionar corretamente. É por isso que o acidente vascular cerebral é uma das principais causas de incapacidade de longo prazo.

Diagnóstico do acidente vascular cerebral

Quando alguém com sintomas de acidente vascular cerebral chega ao hospital, o primeiro passo é determinar que tipo de AVC está ocorrendo.

Existem dois tipos principais e eles não são tratados da mesma maneira. A tomografia computadorizada pode ajudar a determinar se os sintomas são provenientes de um vaso sanguíneo bloqueado (AVC isquêmico) ou um vaso sangrando (AVC hemorrágico).

AVC isquêmico

O tipo mais comum de acidente vascular cerebral é o isquêmico. Quase nove em cada 10 casos.

No AVC isquêmico um trombo (coágulo de sangue) obstrui um vaso sanguíneo dentro do cérebro e uma área fica sem irrigação sanguínea e, portanto, sem receber oxigênio. O coágulo pode desenvolver-se no local ou viajar através do sangue de qualquer parte do corpo (principalmente vindo das artérias Carótidas ou do coração).

Ataque isquêmico transitório

Um ataque isquêmico transitório acontece quando o fluxo sanguíneo é temporariamente obstruído, prejudicando momentaneamente uma parte do cérebro, causando sintomas semelhantes a um acidente vascular cerebral real.

Quando o sangue flui novamente, os sintomas desaparecem, geralmente em menos de 24 horas.

Um ataque isquêmico transitório é um sinal de aviso de que um acidente vascular cerebral pode acontecer em breve.

AVC hemorrágico

Os acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos são menos comuns, mas muito mais prováveis ​​de serem fatais.

Eles ocorrem quando um vaso sanguíneo rompe no cérebro. O resultado é sangramento dentro do cérebro que pode ser difícil de parar.

Então, o dano é tanto pele parada do fluxo de sangue com oxigênio quanto pela compressão que o sangue extravasado faz nos tecidos próximos.

AVC isquêmico e hemorrágico

AVC isquêmico e hemorrágico

O que causa um AVC

Uma causa comum de acidente vascular cerebral é a aterosclerose – endurecimento das artérias.

Na aterosclerose, uma placa feita de gordura, colesterol, cálcio e outras substâncias se acumula nas artérias, deixando menos espaço para o sangue fluir. Um coágulo de sangue pode desenvolver-se neste espaço estreito e causar um acidente vascular cerebral isquêmico.

Acidentes hemorrágicos muitas vezes resultam de pressão arterial elevada  (hipertensão arterial sistêmica) que faz com que uma artéria enfraquecida rompa.

Fatores de risco

Nos fatores de risco há condições crônicas que podem ser melhoradas, fatores comportamentais que podem ser evitados e fatores que não podem ser controlado ou evitados, mas devem ser conhecidos para que a pessoa fique atenta.

Fatores de risco: condições crônicas

Certas condições crônicas aumentam o risco de acidente vascular cerebral. Essas incluem:

  • Pressão alta
  • Colesterol alto
  • Diabetes mellitus
  • Obesidade
  • Fibrilação atrial: uma arritmia cardíaca

Tomar medidas para controlar estas condições pode reduzir o risco.

Fatores de Risco: comportamentos

Certos comportamentos também aumentam o risco de acidente vascular cerebral:

  • Fumar
  • Sedentarismo: pouca atividade física
  • Alcoolismo
  • Alimentação com muita gordura, sal e açúcar: uma alimentação rica em frutas, vegetais, grãos integrais e peixes pode ajudar a reduzir o risco de derrame.

Fatores de risco que a pessoa não pode controlar

Alguns fatores de risco de acidente vascular cerebral estão além do controle, como envelhecer ou ter uma história familiar de derrames.

Gênero desempenha um papel também, pois os homens são mais propensos a ter um AVC. No entanto, mais mortes por acidente vascular cerebral ocorrem em mulheres.

Finalmente, a raça é um fator de risco importante. Afro-descendentes estão em maior risco em comparação com pessoas de outras etnias.

Sequelas

Se um acidente vascular cerebral vai deixar sequelas, isso depende da sua gravidade e da rapidez com que o tratamento foi instituído.

O tipo de dano depende de onde no cérebro ocorre o acidente vascular cerebral.

Problemas comuns após um acidente vascular cerebral incluem dormência e / ou fraqueza nos braços ou pernas, dificuldade em andar, problemas de visão, dificuldade para engolir e problemas com a fala e compreensão. Esses problemas podem ser permanentes, mas muitas pessoas recuperam a maioria de suas habilidades.

Para a recuperação, a terapia envolve fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e psicólogos.

Prevenção: estilo de vida

Para a pessoa que teve um acidente vascular cerebral, a prevenção de um segundo acidente vascular cerebral é uma prioridade.

O risco de um novo acidente vascular cerebral é dez vezes maior em alguém que teve um acidente vascular cerebral no passado.

A prevenção de um segundo acidente vascular cerebral começa por abordar as condições que causaram o primeiro acidente vascular cerebral.

E para quem nunca teve, a orientação é a mesma:

  • Parar de fumar.
  • Manter atividade física e manter um peso saudável.
  • Limitar o consumo de álcool e sal.
  • Alimentar-se de modo mais saudável com mais legumes, peixe e grãos integrais.
  • Procurar seu médico regularmente para acompanhar a pressão arterial e fatores de risco familiares, como o diabetes mellitus e a história familiar.

Para ler mais sobre prevenção, leia o artigo 7 Fatores para Prevenir um Acidente Vascular Cerebral – AVC ou Derrame.

Referências